28 June 2005

antes que me esqueça

Antes de voltar a estar completamente integrada na sociedade portuguesa um post para a posterioridade sobre o hábito mais odioso do macho que se diz homem. E não, não é escarrar, embora também não seja agradável.
É o piropo foleiro, a boquinha manhosa, o beijinho soprado ao ouvido, todos os “olá beleza”, “dava uma voltas contigo”, “fiuuu, fiuuuu”, “posso-te conhecer?” etc etc que qualquer “vai ver se estou na esquina” só atiça mais piropos agora gritados até ao fim da rua. Isto só para mencionar os mais softs que este é um blog autorizado para todas as idade.
Não, não faz bem ao ego. Não, não tem piada. É arrogante. É má-criação. Transforma as mulheres em coisas. É abusivo. É castrador. Vai uma babe como eu a pensar em como resolver o défice e ... “comia-te toda”... Quê? 3 x 6 são 18... Quê?
Principalmente agora no Verão que, com o calor, só queremos andar de mini-saia e top e antes de abrir o armário... “este não pode ser porque há uma obra no fim da rua”, “...este é muito decotado e depois passo naquela oficina e... naaaa”, saia muito curta, calça muito justa... “querido, diz-me onde é que arrumei a burka?”.
Sim, sim, digam-me que posso ignorá-los à vontade. Por isso até já ponho o meu iPod aos gritos. Mas não posso (faz mal ao ouvido). O desconforto cola-se. É nojento. Corria à paulada todos esses anormais.

A verdade é que acabamos por pôr todos no mesmo saco. Dizia-me um amigo meu português em Tokyo que as miúdas portuguesas estão sempre na defensiva e são brutas quando alguém tenta meter conversa. É verdade e podia ser diferente mas são anos a sobreviver aos trolhas e nerds, a pôr o nariz no ar e fazer ar indiferente para mostrar como somos superiores a todas as merdas que somos obrigadas a ouvir na rua.
Como uma vez que ignorei, com ar petulante, o senhor tão bem educado daqueles que levantava o chapéu e disse “Boa tarde, menina” e estão em vias de extinção. Eu é que fui a mal-educada.
Perde-se o à-vontade e, se calhar, um monte de rapazes interessantes.

Ps: sim, eu sei que é um fenómeno não exclusivamente português mas é por aqui que agora me passeio.

4 comments:

  1. Anonymous12:26 AM

    Tu é que deves dar muito nas vistas. Deves ser mesmo muita gira, tal é a frequência com que falas dos piropos com que és constantemente assolada na rua! Deixa lá! Só se mandam piropos às giras! Por isso, até devias estar feliz!

    ReplyDelete
  2. Eu consigo perceber-te, mas tenho que admitir que há piropos que me colam um sorriso na cara.

    ReplyDelete
  3. Entendo-te completamente.
    Mas eu já inventei um jogo muito giro. Quando eles insistirem no "piropo", tu entra no jogo e responde. É vê-los esconderem-se, atravessar a rua ou até a cair do andaime. É que aquilo é só gargante, e inversamente proporcional ao... aos...enfim, tu entendes, mulher.

    ReplyDelete
  4. Sara, eu acho que é mesmo mania do macho ibérico mandar o seu piropo, porque assim que se sobe no mapa europeu, as bocas silenciam-se e a transeunte é que passa a comer com os olhos o bom specimen do trolha, que por estas bandas são do mais fuckable que pode existir. :P

    ReplyDelete

Leave your comments, ideas, suggestions. And thank you for your visit!

Pin it

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...